Seqüestradores de Pearl não tinham a intenção de libertá-lo

Os assassinos do jornalistanorte-americano Daniel Pearl, correspondente do The Wall StreetJournal no Sul da Ásia, nunca tiveram a intenção de libertá-lo,disseram hoje investigadores, enquanto as autoridadespaquistanesas advertiam diplomatas sobre a possibilidade deações terroristas contra eles. Segundo funcionários do Ministério doInterior, o homem que entregou o videoteipe com as imagens damorte de Pearl encontra-se detido para ser interrogado na cidadesulista de Karachi. O homem não foi identificado.Também hoje, as autoridades disseram que aumentou asegurança em torno dos detidos acusados de enviar e-mails nosquais anunciavam o seqüestro do jornalista norte-americano,ocorrido em 23 de janeiro. As autoridade paquistanesas acreditam que o assassinato de Pearl possa ter sido parte de um plano terrorista em grandeescala para desestabilizar o país devido à promessa dopresidente Pervez Musharraf de eliminar grupos de extremistasmuçulmanos depois dos atentados de 11 de setembro contra osEstados Unidos.O governo de Islamabad alertou as sedes diplomatas efuncionários para que tomem precauções extras e aumentem suasegurança, destacando que ataques contra interessesnorte-americanos devem ser considerados uma possibilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.