Seqüestradores encerram negociações no Afeganistão

Rebeldes afegãos que dizem ter capturado de três agentes eleitorais da ONU anunciam o encerramento, sem acordo, das negociações para a libertação dos reféns e avisaram que decidirão na sexta-feira qual será o destino das vítimas. Um suposto comandante do Jaish al-Muslimeen, um grupo dissidente da milícia fundamentalista islâmica Taleban, disse à Associated Press que representantes da ONU e do governo afegão entraram em contato com ele por telefone nesta quinta-feira, mas "não estavam prontos para negociar". "Nós decidimos que não negociaremos mais, pois eles não estão fazendo esforços sérios pela libertação dos reféns", disse um homem que se identificou como Sadir Momin, durante uma conversa por telefone. "Amanhã nós voltaremos a nos reunir até às 14h (locais) e então decidiremos se os mataremos ou se daremos mais tempo", afirmou Momin. Ele não entrou em detalhes sobre as supostas conversas. Representantes da ONU e do governo afegão não estavam disponíveis ou preferiram não se pronunciar sobre o assunto. Eles também não confirmaram os supostos contatos com os seqüestradores. Homens armados seqüestraram a norte-irlandesa Annetta Flanigan, o filipino Angelito Nayan e a kosovar Shqipe Hebibi há uma semana, em Cabul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.