Seqüestradores libertam observadores da ONU na Geórgia

Quatro membros de uma equipe de observadores militares da ONU foram libertados por seus captores após cinco dias no cativeiro, informaram autoridades estrangeiras. O ministro da Defesa da Alemanha, Peter Struck, anunciou durante entrevista coletiva em Berlim que os quatro - dois alemães, um dinamarquês e um intérprete georgiano - foram soltos. "Considerando as circunstâncias, eles estão bem", comentou Struck.Os seqüestradores exigiam resgate de US$ 3 milhões, mas autoridades do governo da Geórgia garantiram que nada foi pago, de acordo com a imprensa local. Em troca da libertação, o governo georgiano comprometeu-se a não prender os seqüestradores, informaram algumas reportagens. Os quatro observadores da ONU foram seqüestrados na quinta-feira.Emzar Kvitsiani, representante do presidente Eduard Shevardnadze na região, disse hoje à rádio estatal georgiana que os seqüestradores reuniram-se com negociadores do governo e acertaram um local para libertar os reféns na noite de hoje. Mais tarde, ele comentou que aguardava a chegada dos reféns, mas ainda não podia confirmar se eles haviam sido libertados.Kvitsiani disse ontem que o grupo mantinha os reféns numa área de floresta na Garganta de Kodori, uma região disputada pelo governo da Geórgia e por forças separatistas da província de Abcázia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.