Seqüestradores operaram refém americano, diz médico

O americano Thomas Hamill, ex-refém de rebeldes iraquianos, sofreu uma cirurgia enquanto esteve em cativeiro, para curar um ferimento a bala no braço, e foi alimentado com regularidade por seus seqüestradores durante as três semanas em que esteve preso no Iraque, disse um médico militar. Hamill, que escapou de seus captores no domingo, perdeu um pouco de peso, mas apresenta quadro clínico saudável, disse o major Kerry Japson, um cirurgião que atendeu o ex-refém no hospital militar ao qual ele foi levado na segunda-feira.Hamill, de 43 anos, contratado como motorista de caminhão por uma subsidiária da empresa americana Halliburton, acenou para os jornalistas com o braço direito engessado de uma varanda do Centro Médico Regional de Landstuhl, Alemanha. "Estou muito feliz por estar de volta a uma instituição americana. É grande meu desejo de retornar aos Estados Unidos." Hamill pediu que os americanos "lembrem-se dos que estão no Iraque e rezem por eles".Para fugir, Hamill aproveitou um momento de desatenção de seus captores, derrubou a porta da cabana onde estava detido e correu por cerca de um quilômetro até alcançar um comboio militar que passava pelos arredores da aldeia de Balad, ao norte de Bagdá. Hamill foi ferido com um tiro no braço direito em 9 de abril, quando a caravana na qual viajava foi alvo de uma emboscada no Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.