Seqüestrados no Equador são libertados

Sete estrangeiros a serviço de empresas petrolíferas que haviam sido seqüestrados em outubro na selva equatoriana foram libertados nesta quinta-feira após pagamento de resgate. O anúncio, feito primeiramente pelo Pentágono, em Washington, foi confirmado pelo governo de Quito - o qual garantiu que os reféns se encontram em bom estado de saúde. Aguardava-se que os recém-libertados fossem transportados a Quito desde Lago Agrio, a 180 km a noroeste da capital equatoriana, afirmou o ministério da Defesa. O comunicado ministerial dizia que os sete "foram encontrados aproximadamente às 11h00 (hora local) por uma patrulha militar". E a polícia equatoriana informou que "as vítimas deste seqüestro se encontram em bom estado de saúde", disse um comunicado emitido pela Presidência. Uma jornalista da Associated Press chegou a ver à distância alguns dos libertados quando eram transportados em dois veículos escoltados por militares. Exibindo barba e cabelo comprido, além de evidentes sinais de cansaço, os ex-reféns entraram rapidamente no quartel de Tunguragua, onde não foi permitida a entrada de jornalistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.