Seqüestrados pelas Farc pedem ajuda em troca humanitária

Os doze deputados seqüestrados há mais de quatro anos pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pediram ao Governo colombiano, em um vídeo divulgado nesta segunda-feira, que convide outros países para colaborar em uma possível troca humanitária.Os seqüestrados fizeram o pedido através de comoventes mensagens transmitidas a seus familiares em um vídeo das Farc que foi exibido pelo secretário de Educação de Cali, Hernán Sandoval."Pedimos ao senhor presidente que, assim como França, Espanha e Suíça estão colaborando para realizar o acordo humanitário, convide outros países da comunidade internacional para se somarem a este propósito", diz um dos seqüestrados, o deputado Ramiro Echeverry Sánchez."Agradecemos pelo trabalho da Igreja e do doutor Álvaro Leyva, ex-candidato presidencial", disse Echeverry, que falou em nome de seus companheiros em cativeiro.A maioria dos deputados, seqüestrados no dia 11 de abril de 2002 no edifício da Assembléia (legislativa regional) do Valle del Cauca, no sudoeste do país, afirmou que está bem de saúde. "Hoje é terça-feira 8 de agosto de 2006, estamos há 52 meses seqüestrados e nossa saúde está se deteriorando", disse Rufino Varela, um dos reféns.Os seqüestrados insistem na retirada de tropas dos municípios de Pradera e Flórida, localizados menos de cinqüenta quilômetros ao leste de Cali, para que se possa efetuar a troca de acordo com as exigências das Farc.Os deputados, que aparecem vestidos com camisas de manga longa e sem custódia armada, asseguram que seus seqüestradores os "mantêm a par das notícias na Colômbia em relação à troca".O ex-presidente da Assembléia do Vale, Juan Carlos Narváez, diz que os ex-deputados temem por suas vidas, já que o Governo "continua buscando seu resgate a sangue e fogo". "Esta é uma prova da vontade política das Farc para buscar um acordo com o Governo que conduza a um acordo humanitário", disse a porta-voz Fabiola Perdomo, esposa de Narváez.Angela Giraldo, familiar de um dos seqüestrados e secretária de paz do Governo do Vale, assinalou que "este novo vídeo dá energia e novos ares para seguir lutando, mas também tristeza ao saber que os melhores anos de suas vidas estão sendo perdidos na floresta".Esta é a sexta prova de vida dada pelas Farc deste grupo de reféns, seqüestrados em 11 de abril de 2002 no edifício da Assembléia Legislativa de Valle del Cauca, no sudoeste do país.Os guerrilheiros pretendem trocar cerca de 60 pessoas, entre as quais os doze deputados, três americanos, militares, policiais e políticos, incluindo a ex-candidata presidencial independente Ingrid Betancourt, por aproximadamente 500 guerrilheiros presos na Colômbiae no exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.