Seqüestro de avião da Mauritânia termina em ilha espanhola

O seqüestro de um Boeing 737 da Air Mauritania que levava 71 passageiros e 8 tripulantes terminou nas Ilhas Canárias, Espanha, informou nesta quinta-feira o representante do governo na ilha, José Segura, à rádio nacional RNE. Um único suspeito foi preso, segundo a mídia espanhola. Serviços de emergência disseram mais cedo que várias pessoas haviam sido feridas em um tiroteio.O seqüestrador do avião da Air Mauritania que foi detido pelas Forças de Segurança espanholas é um mauritano de origem saariana. Ele levava duas pistolas, uma delas com uma bala, segundo a agência de notícias Efe.Fontes da investigação informaram que o seqüestrador atuou sozinho e que, durante o desenlace do seqüestro, várias pessoas ficaram levemente feridas na hora de desocupar o avião.O avião MR465 aterrissou no aeroporto de Gando, na ilha de Las Palmas.Aparentemente, o seqüestrador pretendia que o avião aterrissasse na França, mas os membros da tripulação lhe disseram que o aparelho não dispunha do combustível suficiente para realizar o trajeto.Por esse motivo, a aeronave que fazia um vôo para a cidade portuária de Nouadhibou, no norte do Marrocos tentou reabastecer em Dakhla, no Saara Ocidental, mas ao não obter a permissão das autoridades se dirigiu em direção às Ilhas Canárias."Felizmente, o incidente do seqüestro terminou favoravelmente", disse José Segura. O Marrocos confirmou que negou a permissão de aterrissagem em seu território ao avião seqüestrado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.