Seqüestro de fotógrafo peruano mobiliza jornalistas

O seqüestro do fotógrafo peruano Jaime Rázuri em Gaza motivou uma onda de solidariedade no meio da incerteza sobre seu paradeiro e a intervenção das autoridades do Peru, França ePalestina para buscar sua libertação.O seqüestro motivou na terça-feira a cobertura unânime da imprensa local, a solidariedade da imprensa estrangeira no país andino e a mobilização das chancelarias do Peru e França, já que Rázuri trabalha na agência francesa de notícias France Press (AFP).Dezenas de jornalistas de meios de imprensa nacionais e deagências se reuniram no átrio da Catedral de Lima em uma vigíliapara pedir sua libertação, e colocaram velas acesas e fotografias suas.DeLia de Rázuri, mãe do jornalista, estava presente na vigília e manifestou sua esperança de que seu filho será libertado imune porque, segundo disse, ele "acredita muito em Deus e tem força".A mãe do repórter assinalou que até o momento "nenhumaautoridade" peruana se comunicou com ela, mas disse que acredita que "estão fazendo o que têm que fazer" para conseguir sua libertação.A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) também pediu "amobilização de todos" para obter a rápida libertação do fotógrafo e denunciou a ausência de vontade política das autoridades palestinas para acabar com estas ações na região.A Associação da Imprensa Estrangeira no Peru (APEP) expressou"sua mais enérgica condenação" pelo seqüestro de seu integrante e exigiu "o respeito a sua vida e sua mais pronta libertação".O presidente da APEP, Luis Jaime Cisneros, instou o governoperuano a "redobrar suas negociações diplomáticas junto à Autoridade Nacional Palestina para conseguir sua libertação".A Associação de Fotógrafos e Câmeras do Peru também solicitou aos seqüestradores que respeitem a integridade do repórter "independentemente das motivações que originaram" seu seqüestro.Rázuri foi seqüestrado na segunda-feira às portas do escritório da "AFP" no bairro AL Rimal, no centro da Cidade de Gaza, por "quatro indivíduos armados que agiram com o rosto descoberto", segundo a RSF. Nenhuma facção armada palestina reivindicou o seqüestro do fotógrafo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.