Sequestro na Nigéria é 'bárbaro', diz presidente da OCI

O secretário-geral do maior bloco mundial de países islâmicos, a Organização da Conferência Islâmica (OCI), Iyad Madani, disse neste sábado que o sequestro das 270 adolescentes pelo grupo terrorista Boko Haram na Nigéria é um ato "bárbaro" e "desumano".

AE, Agência Estado

10 Maio 2014 | 12h25

Em uma entrevista à Associated Press neste sábado, Madani disse que atos como esses "não apenas são repudiados pelo Islã, mas por toda a humanidade". Essa foi a primeira entrevista do líder desde que ele assumiu a secretaria-geral da Conferência Islâmica em janeiro.

Madani disse ainda que a violência sectária é um dos desafios mais importantes para o mundo islâmica. A OCI é uma organização composta por 57 países de maioria muçulmana.

O sequestro do grupo terrorista Boko Haram causou uma indignação pública mundial. O grupo usa ensinamentos islâmicos como justificativa para ameaçar vender as adolescentes como escravas. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Nigériasequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.