'Sequestros são a terceira fonte de renda dos Zetas''

ENTREVISTA

, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2010 | 00h00

Óscar Martínez, JORNALISTA SALVADORENHO

Quem são os Zetas?

O grupo foi formado em 1997 por Osiel Cárdenas Guillén - hoje preso nos EUA - para ser o braço armado do cartel do Golfo. Ele convenceu cerca de 30 membros da elite do Exército mexicano a desertar e trabalhar para o narcotráfico. Um desses militares era Heriberto Lazcano Lazcano, que hoje é líder do grupo. Mas, em 2007, houve a separação entre os dois cartéis.

Por que se separaram?

Por uma questão comercial e pessoal. Lazcano tem problemas com Jorge Eduardo Costilla Sánchez, chefão do Golfo. Este ano, descobriu-se não só que os dois grupos já não atuavam juntos, mas que tinham se tornado rivais.

Por que sequestrar imigrantes?Segundo informações de inteligência, os Zetas ainda não têm a capacidade de outros cartéis. Eles não têm contato com países produtores de coca na América do Sul, então, especializaram-se no tráfico de metanfetamina. Para completar a receita, diversificaram os negócios. Além do trafico de madeira e de mulheres, o sequestro é uma boa fonte de renda. A ideia é capturar o maior número possível e pedir pouco, entre US$ 500 e US$ 5 mil por pessoa. Em 2009, os Zetas faturaram US$ 25 milhões com o negócio.

Qual o impacto do sequestro na renda total dos Zetas?

Os sequestros são a terceira fonte de renda. Primeiro, vem o tráfico de drogas. Depois, o de armas. Hoje, os Zetas controlam todo os coiotes. Se alguém não trabalha para eles, morre. O grupo tem guias em todas as rotas e paga para que os coiotes entreguem os imigrantes.

Por que atuam tão livres?

Os imigrantes são a vítima perfeita em um cenário perfeito: evitam as grandes cidades e passam por pequenos vilarejos, onde há meia dúzia de policiais, fáceis de corromper. Além disso, são pessoas que fogem das autoridades e viajam sem documentos.

Por que o governo tem dificuldade em combater o grupo?

Os Zetas estão tão inseridos no aparelho do Estado que é difícil combatê-los. Em muitos locais, são o poder de facto. Prefeitos, polícias trabalham para o grupo.

Qual o papel dos EUA no caso?

Vários membros dos Zetas passaram pela Escola das Américas e a maioria das armas vem dos EUA. Além disso, a atual política dos EUA obriga os imigrantes a buscar o narcotráfico para entrar no país.

QUEM É

Autor do livro-reportagem "Los migrantes que no importan", Óscar Martínez é considerado um dos jornalistas latino-americanos que mais conhecem a atuação dos Zetas. Desde 2009, passou mais de um ano acompanhando o drama de candidatos a imigrantes ilegais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.