John G. Mabanglo/EFE
John G. Mabanglo/EFE

Procurado há 40 anos, ex-policial serial killer é preso na Califórnia

Joseph James DeAngelo, de 72 anos, conhecido como 'Golden State killer', é acusado de ter cometido 12 assassinatos e 45 estupros entre 1976 e 1986 no Estado; livro lançado neste ano sobre os casos fez com que novas pistas chegassem às autoridades

O Estado de S.Paulo

25 Abril 2018 | 21h12

SACRAMENTO - Um caso sem solução durante décadas poderá finalmente ser esclarecido: a polícia encontrou o homem que seria o responsável por 12 assassinatos e 45 estupros entre 1976 e 1986. As autoridades de Sacramento informaram nesta quarta-feira, 25, sobre a prisão de Joseph James DeAngelo, de 72 anos, acusado de assassinato em vários condados da Califórnia.

+ Morre Charles Manson, um dos assassinos mais conhecidos dos EUA

"A magnitude deste caso exigia que ele fosse resolvido", disse a procuradora de Sacramento Anne Marie Schubert. Testes de DNA permitiram às autoridades identificar DeAngelo como o "Golden State killer" ("assassino do Estado Dourado", como a Califórnia é chamada), que iniciou seus ataques em 1976 no subúrbio de Sacramento.

Segundo a Polícia Federal Americana (FBI, na sigla em inglês), ele entrava nas casas durante a noite e amarrava as vítimas mulheres, estuprando muitas delas.

"Podemos dizer que nos últimos dois dias, quando várias pistas apontavam para este individuo, começamos a vigiá-lo, pudemos conseguir alguns testes de DNA e pudemos confirmar o que todos já sabíamos, que tínhamos (encontrado) o homem", afirmou o xerife de Sacramento, Scott Jones.

+ Serial killer procurado há 20 anos por sete mortes é preso nos EUA

A prisão aconteceu na tarde desta terça-feira, 24, informou o policial. As autoridades mostraram a fotografia do acusado, branco, com cabelos grisalhos.

Segundo Jones, DeAngelo foi policial entre 1973 e 1979, os últimos três anos em Auburn - perto de Sacramento -, de onde foi demitido por furto. "É muito possível que ele estivesse cometendo esses crimes durante o tempo em que ele era policial."

O FBI - que oferecia há dois anos uma recompensa de US$ 50 mil por informação que levasse a sua prisão - informou que, entre 1976 e 1986, o homem cometeu 12 homicídios, 45 estupros e 120 roubos a residências. A faixa etária de suas vítimas variava entre 13 e 41 anos.

A procuradora Schubert disse que, com a chegada de mais testes de DNA, outras denúncias poderão se somar às atuais.

+ Vigilante que assumiu 39 mortes em GO tenta suicídio em delegacia

Esses crimes inspiraram o livro I'll Be Gone in the Dark, de Michelle McNamara (em tradução livre para o português, Desaparecerei na escuridão), que foi publicado neste ano nos Estados Unidos, despertando um novo interesse sobre o caso. Jones disse que o livro fez com que novas pistas chegassem às autoridades.

O ator e comediante Patton Oswalt, marido de Michele, morta há dois anos, celebrou a notícia em sua página do Twitter. "Acho que você o pegou, Michelle".

Depois de estuprar e assassinar suas vítimas, o criminoso roubava dinheiro, joias e documentos. Embora a maioria dos assaltos tenham sido cometidos em Sacramento, os testes de DNA o conectam a outros ataques na área de São Francisco e no sul da Califórnia. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.