Série de ataques deixa 56 mortos no Iraque

Uma série de ataques, dentre eles várias explosões de carros-bomba com intervalo de minutos em Bagdá, deixou 56 mortos e mais de cem feridos no Iraque nesta terça-feira. A onda de violência deixou mais de 2.500 mortos entre abril e junho, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU).

AE, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 00h06

Nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques, mas a maior parte teve como alvo xiitas. Militantes sunitas ligados à Al-Qaeda costumam atacar xiitas, a quem consideram apóstatas. Sete dos 56 mortos foram identificados por autoridades locais como milicianos sunitas.

O episódio mais grave aconteceu na capital Bagdá, onde cinco carros-bomba explodiram em mercados abertos, a maioria em regiões xiitas. Os veículos foram detonados com intervalo de minutos por volta das 6h (horário local; 12h em Brasília), nas movimentadas áreas dos bairros de Shula, Kamiliyah, Shaab e Abu Tcheer, provocando a morte de dezenas de pessoas.

Na segunda-feira, uma série de ataques ao norte de Bagdá deixou 45 mortos, dos quais 23 foram vítimas de um suicida que detonou os explosivos que levava junto ao corpo no meio de um funeral que acontecia num salão religioso xiita. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.