Série de ataques deixa 75 mortos e 300 feridos no Iraque

Uma série de explosões tendo como alvos prédios do governo e comerciais em Bagdá matou hoje pelo menos 75 pessoas e feriu mais de 300, informou a polícia e autoridades de saúde. As explosões na capital iraquiana ocorrem em um mês de vários ataques, que mataram centenas e lançaram dúvidas sobre a capacidade das forças de segurança para controlar o país, conforme as tropas dos Estados Unidos se retiram do Iraque.

AE-AP, Agencia Estado

19 de agosto de 2009 | 10h37

O ataque mais mortífero de hoje ocorreu perto do Ministério de Relações Exteriores. Um carro-bomba matou pelo menos 48 pessoas e feriu mais de 250. Os funcionários envolvidos disseram que os números ainda podem subir, conforme equipes de resgate vasculham os escombros. Dezenas de carros foram danificados. A explosão foi tão forte que causou estragos também em prédios vizinhos. Janelas foram quebradas no Parlamento, localizado - assim como o Ministério de Relações Exteriores - no interior da fortificada Zona Verde.

O primeiro ataque ocorreu perto do Ministério das Finanças, no norte de Bagdá. Minutos depois ocorreu o do Ministério das Relações Exteriores. Além disso, morteiros foram lançados dentro da Zona Verde, segundo funcionários locais. Outro carro-bomba atingiu uma patrulha conjunta da polícia e do Exército iraquianos nas proximidades do Ministério das Finanças, matando um soldado e dois civis, disse um policial. Vinte e duas pessoas ficaram feridas, afirmou ele, que pediu anonimato.

No distrito de Bayaii, no oeste da capital do Iraque, uma explosão matou seis pessoas e feriu 21, informou o mesmo policial. Mais três atentados ocorreram em outros pontos de Bagdá, incluindo uma em uma área residencial do norte da cidade, que matou uma pessoa e feriu 18.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueviolênciaexplosõesBagdá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.