Série de ataques mata 87 em Mumbai

Terroristas disparam e lançam granadas contra hotéis de luxo na capital financeira indiana; 900 ficam feridos

EFE, AP E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

27 de novembro de 2008 | 00h00

Pelo menos 87 pessoas morreram e outras 900 ficaram feridas ontem em Mumbai (ex-Bombaim), capital financeira da Índia, em 12 ataques coordenados que atingiram o centro turístico e comercial da cidade. Veja o vídeo com imagens dos atentados em MumbaiHomens armados com fuzis AK-47 e granadas entraram nos dois hotéis mais luxuosos da cidade - o Oberoi e o Taj Mahal - procurando por hóspedes com passaportes americanos e britânicos, tomando reféns e trocando tiros com a polícia durante toda a madrugada.Na noite de ontem, a imprensa indiana disse haver 7 estrangeiros em um grupo de 15 reféns mantidos no Hotel Taj Mahal. As agências de notícias falavam em pelo menos cem hóspedes mantidos reféns - entre eles, três parlamentares europeus e um grupo de dez cidadãos americanos e britânicos.O governo da Índia enviou a Mumbai militares especializados no combate ao terrorismo e unidades de apoio em situações de desastre. Vários caminhões do Exército desembarcaram militares no centro da cidade. O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, condenou os ataques e assegurou todo apoio ao governo local.No início da madrugada, redes de TV da Índia disseram que comandos da Marinha e unidades da polícia tinham invadido os dois hotéis. Testemunhas disseram ter ouvido uma explosão no Hotel Oberoi e seis no Taj Mahal , que pegou fogo. Cerca de 50 pessoas conseguiram escapar pelas saídas de emergências do Hotel Taj Mahal. Não foi divulgado o resultado da ação policial e militar, mas, ao amanhecer, partes da cidade ainda estavam sob cerco, com a polícia e terroristas trocando disparos esporádicos nos dois hotéis.AUTORIAO desconhecido grupo Deccan Mujahidin assumiu a autoria dos atentados em e-mails enviados a vários jornais e TVs. O motivo dos ataques não estava claro, mas Mumbai já foi alvo de várias ações violentas atribuídas a extremistas islâmicos, entre eles a série de explosões em julho de 2007, que deixou 187 mortos. "Matamos quatro terroristas e conseguimos prender nove suspeitos de envolvimento nos ataques", disse o policial P.D. Ghadge.Pelo menos 11 policiais também morreram nos atentados, entre eles 3 chefes do esquadrão antiterror de Mumbai. O governo japonês informou que um de seus cidadãos foi morto e outro, ferido.A estação ferroviária de Chatrapati Shivaji foi atacada com rajadas de metralhadoras e granadas, deixando um rastro de bagagens destruídas e poças de sangue. Uma delegacia de polícia, uma cafeteria freqüentada por turistas ocidentais, um cinema, um restaurante e até hospitais também foram atacados, indicando que os alvos foram selecionados para provocar o maior número possível de vítimas. Johnny Joseph, secretário-chefe do governo estadual de Maharashtra, cuja capital é Mumbai, disse acreditar que o número de mortos pode subir ainda mais. Amitabh Yash, chefe da superintendência de polícia do Estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia, anunciou a detenção de seis militantes do Lashkar i-Tayba, um dos diversos grupos que disputam com a Índia o controle da Caxemira que, segundo ele, estariam planejando atacar a Bolsa de Valores de Mumbai na noite de ontem.A Casa Branca condenou os atentados em Mumbai e o presidente eleito Barack Obama disse que os EUA precisam trabalhar para reforçar os laços com a Índia e outras nações para "desenraizar e destruir as redes terroristas". "Esses ataques contra inocentes demonstram a gravidade e a urgência da ameaça terrorista", disse o porta-voz de Obama para segurança nacional, Brooke Anderson.HISTÓRICO DE TERROR1993: 257 morrem e mais de mil ficam feridos em 15 ataques coordenados em Mumbai1998: Explosões de 13 carros-bomba matam 46 e deixam 200 feridos em Coimbatore2003: Dois carros-bomba explodem perto do Taj Mahal, deixando 45 mortos e 150 feridos 2005: 61 morrem e 210 ficam feridos na explosão de três carros-bomba em Nova Délhi2006: Sete carros-bomba explodem e matam pelo menos 200 em Mumbai2008: 17 bombas em áreas residenciais, mercados e hospitais de Ahmedabad deixam 45 mortosFRASESVilasrao DeshmukhAutoridade de Marahashtra"A situação ainda não está sob controle. Estamos tentando expulsar qualquer terrorista que esteja escondido nos dois hotéis"Alex ChamberlainCidadão britânico e sobrevivente"Havia um italiano e perguntaram a ele: ?De onde você é?? Ele disse que era da Itália e odeixaram em paz. Eu pensei logo que me matariam se me perguntassem algo. Graças a Deus, eles não o fizeram" Sajjad KarimMembro da delegação européia"Eu estava na recepção quando vi que havia fogo do lado de fora do hotel", disse. "Um homem armado apareceu na nossa frente e começou a disparar. Virei-me e corri na direção contrária"Erika MannEurodeputada alemã"Alguns de nós fomos forçados a nos separar uns dos outros. Um atirador simplesmente começou a disparar ao redor, à minha direita. Corri para a cozinha do hotel. Estamos agora no escuro e armamos barricadas em todas as portas. A situação é verdadeiramente ruim" (Depoimento via celularao jornal britânico ?The Times?) Ashok PatilInspetor de polícia"Os terroristas estavam lançado granadas contra nós do teto do Hotel Taj Mahal, enquanto rolos de fumaça saíam do prédio"Brooke AndersonPorta-voz de Barack Obama"Esses ataques contra inocentes demonstram a gravidade e a urgência da ameaça terrorista"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.