Série de atentados mata 2 e fere 23 na Rússia

Um grupo de policiais e soldados russos foi atacado hoje por um carro-bomba na região do Cáucaso do Norte, ferindo pelo menos 23 pessoas. Em outro episódio, dois agentes de segurança foram assassinados.

AE-AP, Agencia Estado

17 de dezembro de 2009 | 14h37

O carro-bomba atingiu o grupo em um posto de checagem na cidade de Nazran, na província da Ingushetia, afirmou o porta-voz do escritório do Ministério do Interior na região, Madina Khadziyeva. A Ingushetia faz fronteira com a Chechênia ao oeste.

A explosão feriou dez agentes de segurança do Ministério do Interior, três policiais e dez civis, muitos dos quais estão em estado grave, disse Svetlana Gorbakova, do principal órgão de investigação da Rússia. Segundo ela, três dos dez civis feridos são crianças.

Em outro incidente em Nazran, ocorrido mais tarde, dois oficiais de segurança foram baleados dentro do seu carro por homens não identificados que passaram atirando, disse Gorbakova. Outros dois colegas dos policiais, que estavam no carro, ficaram feridos. Os atiradores fugiram.

Onda de ataques

Uma série de ataques suicidas tem ocorrido na região em decorrência das duas guerras separatistas na Chechênia nos últimos 15 anos. O presidente regional da Ingushetia foi gravemente ferido após um ataque suicida em junho. Um ataque suicida contra uma delegacia de polícia em agosto matou pelo menos 24 pessoas.

Ativistas de direitos humanos dizem que os abusos contra civis por parte da polícia e das forças de segurança, que incluem sequestros, tortura e assassinatos, contribuem para o aumento das fileiras militantes.

A tensão permanece em outras províncias do Cáucaso do Norte. Na província do Daguestão, a polícia matou três supostos militantes em confrontos, ontem, informou Mark Tolchinsky, porta-voz do escritório regional do Ministério do Interior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.