Série de explosões mata ao menos 31 pessoas em Alepo

Três carros-bomba explodiram na cidade de Alepo, a maior da Síria, nesta quarta-feira e mataram ao menos 31 pessoas. Os atentados suicidas aconteceram em uma praça e deixaram dezenas de pessoas presas embaixo dos destroços, afirmaram ativistas e a imprensa estatal.

AE, Agência Estado

03 de outubro de 2012 | 08h40

Os ataques aconteceram em um distrito controlado pelo governo. Uma quarta bomba foi detonada a algumas centenas de metros da Câmara do Comércio, atingindo um número desconhecido de vítimas. Um oficial do governo sírio afirmou que o número de mortos provavelmente aumentará pois muitos dos feridos estão em estado grave.

Imagens de uma emissora estatal mostram destruição no entorno da praça Saadallah al-Jabri, onde também fica um famoso hotel. Um prédio aparentava ter desabado e a fachada de outro estava bastante danificada. Dentro do hotel havia um clube frequentado por oficiais do regime.

A revolta contra o governo do presidente Bashar Assad começou em março de 2011 e gradualmente foi transformando-se em uma guerra civil. O conflito matou mais de 30 mil pessoas, dizem ativistas, e devastou vizinhanças inteiras nas principais cidades da Síria, inclusive Alepo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaviolênciaAlepo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.