Sérvia: polícia desmantela favela e expulsa ciganos

Cerca de 250 famílias ciganas foram expulsas nesta quinta-feira de uma favela, que por anos serviu de residência na periferia da capital da Sérvia, Belgrado, apesar dos protestos feitos por organizações de defesa dos direitos humanos. As autoridades sérvias retiraram as famílias dos barracos de madeira e embarcaram os ciganos roma em ônibus. Elas foram levadas a quatro contêineres, em outro local na periferia da cidade, que servirão de abrigo provisório. No total, a favela abrigava mais de mil pessoas.

AE, Agência Estado

26 de abril de 2012 | 15h54

A Anistia Internacional, grupo de defesa dos direitos humanos com sede em Londres, disse que "as pessoas vieram até nós, chorando e perguntando o que farão, para onde devem ir, porque não têm para onde ir". Uma garota de 17 anos, grávida, disse que o governo afirmou que a enviará à cidade de Nis, no sul da Sérvia, onde ela não tem parentes e não tem onde ficar. A Anistia disse que a destruição da favela e a "expulsão forçada" foram uma "flagrante" violação dos direitos humanos.

Já as autoridades sérvias afirmam que a favela foi levantada ilegalmente em terras invadidas pelos moradores, que com isso evitavam a expansão de Belgrado em uma área nova. O prefeito de Belgrado, Dragan Djilas, defendeu a expulsão, ao dizer que os ciganos estarão mais bem abrigados nos contêineres que nos barracos de madeira. Atualmente, cerca de 500 mil ciganos, conhecidos como roma, vivem na Sérvia. Eles representam 7% da população e frequentemente enfrentam ameaças da polícia e de nacionalistas sérvios.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.