Sérvia 'precisa fazer mais' para entrar na União Europeia

Chefe de diplomacia do bloco pede reformas ao país e diz que prisão de Mladic não basta

27 de maio de 2011 | 16h17

Jornais bósnios um dia após a prisão de Ratko Mladic

 

PRISTINA - A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, elogiou a Sérvia nesta sexta-feira, 27, pela prisão do ex-general servo-bósnio Ratko Mladic, mas afirmou que o país ainda precisa superar outros obstáculos para ingressar no bloco europeu.

 

Veja também:

lista Saiba quais os processos que Mladic enfrenta

documento Perfil: Ratko Mladic, o responsável pelo massacre de Srebrenica

som 'Estadão ESPN': Repórter comenta prisão de Mladic

 

Durante visita a Kosovo, Catherine disse que "o caminho para a UE requer muito trabalho sobre as questões técnicas que precisam ser resolvidas". O governo sérvio, aliado do Ocidente, anunciou que planeja estar como membro do bloco europeu ainda neste ano.

 

A UE pediu que a Sérvia progrida com sua reforma judicial, no combate ao crime e à corrupção, no respeito aos direitos humanos, nas mudanças das leis eleitorais e em aspectos diplomáticos, como nos diálogos com Kosovo, sua ex-província.

 

A agência internacional de riscos Standard & Poor's emitiu um comunicado nesta sexta afirmando que "a Sérvia pode alcançar os demais países do bloco alinhando suas leis com as da UE e aplicando reformas estruturais", mas ainda assim, completa, "a prisão (de Mladic) não acelera o processo". A nota diz que Belgrado necessita "mais esforços em âmbito administrativo, legislativo e de implementação por parte do governo".

 

No dia da prisão de Mladic, o presidente da Sérvia, Boris Tadic, falou sobre a futura entrada do país na UE. "Hoje fechamos um capítulo difícil de nossa história recente. Estou muito orgulhoso de nossas forças de segurança e quero felicitá-las. É muito bom para a Sérvia que este capítulo esteja fechado. Acho que todas as portas para nossa entrada na União Europeia (UE) estão abertas", disse.

 

Leia ainda:

Mladic pode ser extraditado, diz tribunal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.