Sérvia tem segurança reforçada para ato pró-Karadzic

A polícia sérvia mobilizou hoje milhares de soldados de sua tropa de choque como parte das medidas de segurança adotadas com o objetivo de evitar incidentes durante o protesto convocado por setores ultranacionalistas do país contra a prisão e a extradição do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic, acusado de genocídio e crimes de guerra.A extradição de Karadzic para o Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII), em Haia (Holanda), foi adiada por alguns dias porque um tribunal de Belgrado ainda não recebeu o recurso apresentado contra a deportação.Hoje, ônibus e mais ônibus chegavam a Belgrado vindos de diferentes partes do país trazendo a bordo pessoas que pretendiam participar do ato em apoio a Karadzic. O presidente da Sérvia, Boris Tadic, pediu aos manifestantes que promovam um ato pacífico.A expectativa é de que a manifestação seja a maior realizada na capital sérvia desde fevereiro, quando centenas de milhares de pessoas protestaram contra a proclamação da independência de Kosovo. O protesto em questão degringolou em uma jornada de violência em que grupos atacaram as embaixadas dos EUA e de outros países favoráveis à independência de Kosovo, além de provocarem distúrbios e atos de vandalismo.O protesto, que começa às 19 horas locais (13h no horário de Brasília) foi convocada pelo Partido Radical Sérvio. A legenda afirmou que a manifestação será "pacífica e digna" e pretende resistir ao "regime ditatorial de Boris Tadic", presidente sérvio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.