AFP PHOTO / YAMIL LAGE
AFP PHOTO / YAMIL LAGE

Serviço de correio postal direto entre Cuba e EUA está interrompido desde março

Estatal Correos de Cuba afirma que está à espera de uma decisão do governo americano

O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2017 | 12h55

HAVANA - O serviço de correio postal direto entre Cuba e EUA, que foi restabelecido em 2016 depois de 48 anos de relações cortadas, está interrompido desde março, à espera de uma decisão do governo americano, informou a estatal Correos de Cuba.

+ Cenário: O maior golpe contra a reaproximação

“Estamos à espera de uma resposta das autoridades postais desse país para poder reativar o correio direto mediante os voos comerciais regulares, como é a prática habitual no mundo”, indicou Soraya Bravo, vice-presidente da Correos de Cuba.

+ Há décadas aparelhos sônicos são usados como armas não letais

A interrupção se tornou pública em um momento no qual Washington e Havana vivenciam uma crise diplomática em razão das denúncias dos EUA de “ataques acústicos” contra os funcionários de sua embaixada na ilha e a expulsão de alguns diplomatas.

Em declarações à imprensa local publicadas nesta sexta-feira, 6, Soraya lembrou que o correio foi retomado no dia 16 de março de 2016 com um plano de um ano, por meio de voos charter da companhia IBC Airways, inicialmente com três voos semanais e mais tarde, dois.

O serviço - que não inclui somente cartas, mas também encomendas - tinha sido cortado em 1968 após a explosão de uma bomba em um pacote recebido em Havana, recordou uma funcionária.

Desde então e até 2016, o serviço foi realizado por meio de um terceiro país. Ao finalizar o plano inicial em março, as autoridades cubanas propuseram manter o serviço usando voos comerciais diretos de outras companhias, mas ainda não receberam uma resposta de Washington.

“As trocas postais entre Cuba e EUA vinham sendo mantidas por meio de um terceiro país, como já funcionou anteriormente durante décadas, ainda que com uma redução significativa dos envios de ambos os países”, explicou Soraya.

No ano de 2017, as trocas foram reduzidas em 46% com relação a 2016. Para resolver a situação, pretendia-se manter contato com as autoridades postais dos países durante o 23.º Congresso da União Postal das Américas, Espanha e Portugal (UPAEP), que deveria ter sido realizado no México em setembro, mas foi cancelado em razão do terremoto que abalou o país. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.