Serviços de inteligência indicam presença da Al Qaeda na Caxemira

Os serviços indianos de inteligência interceptaram conversas entre rebeldes radicais em Jammu e na Caxemira, que indicam pela primeira vez a possível presença da Al Qaeda nesse território, informa nesta segunda-feira a imprensa local.Segundo fontes dos serviços de inteligência, as conversas interceptadas parecem ser entre membros do grupo terrorista separatista caxemiriano "Lashkar-e-Toiba" (LeT) e da Al Qaeda.Um policial não identificado, citado pelo jornal "Hindustan Times", afirmou que as "investigações revelaram que o LeT está hospedando a Al Qaeda em Jammu e na Caxemira"."Todos os recém chegados (membros da Al Qaeda) estão sendo dirigidos a refúgios do LeT", afirmou o policial.Enquanto suspeita-se que alguns dos membros da Al Qaeda podem estar refugiados na zona de Bandipore, no norte da Caxemira, junto ao líder do LeT, "Bilal", também conhecido como "Salahuddin", outros podem estar nas selvas de Budhal, na região de Qazigund, localizada na estrada entre as cidades de Jammu e Srinagar, respectivamente as capitais do inverno e do verão do estado de Jammu e da Caxemira.Caso as suspeitas sejam confirmadas, esta será a primeira confirmação da presença da Al Qaeda na Índia, onde os principais autores do terrorismo são os grupos separatistas que atuam principalmente na região da Caxemira controlada pelos indianos.A região da Caxemira, com maioria da população muçulmana, é controlada em parte por Paquistão e Índia, mas os dois países reivindicam o território em sua totalidade, chegando a deflagrar duas guerras por causa desta disputa territorial.O LeT, um dos grupos separatistas radicais da região, é o principal suspeito pelos atentados de 11 de julho, em Mumbai, que mataram 185 pessoas.Vários membros do LeT já foram detidos pelas autoridades indianas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.