Serviços paquistaneses acreditam que Bin Laden está vivo

Os serviços de inteligência paquistaneses, assim como o Ministério do Interior do Paquistão, não dão credibilidade ao conteúdo da informação do jornal francês "L´Est Republicain", que anunciou neste sábado a morte do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden.O ministro do Interior paquistanês, Aftab Khan Sherpao, disse que "o relatório sobre a morte de Osama bin Laden é totalmente infundado" e descartou a possibilidade de que o líder da Al Qaeda pudesse ter morrido no Paquistão por causa de tifo. No entanto, Sherpao acrescentou que abordará a questão com as autoridades sauditas, já que o jornal francês atribui a notícia a serviços secretos do país.Um responsável dos serviços secretos paquistaneses, que pediu para não ser identificado, disse que pela "informação obtida de vários dirigentes detidos da Al Qaeda e do grupo afegão talibã", é possível "sustentar com convicção que Osama bin Laden, seu braço direito Ayman Al-Zawahiri e o ex-chefe do regime taleban, mulá Mohammad Omar, estão vivos e escondidos em algum lugar entre o Afeganistão e o Paquistão".Além disso, acreditamos que seu braço direito (Al-Zawahiri) viaja entre ambos (os países) com a ajuda do mulá Omar e seus seguidores", acrescentou a fonte. A fonte acrescentou que seus colegas americanos destacados no Paquistão também estão convencidos de que Bin Laden continua vivo e refugiado na fronteira afegã-paquistanesa.Segundo o responsável dos serviços secretos paquistaneses, se Bin Laden tivesse morrido, e se isso tivesse ocorrido em agosto, a notícia teria sido anunciada pelo próprio presidente do Paquistão, o general Pervez Musharraf.A fonte lembrou que "o presidente sabe muito bem como a notícia da morte de Osama pacificaria o presidente (George W.) Bush nesse momento". "Portanto, não há nenhum motivo para que o Governo paquistanês fique calado sobre essa notícia", reiterou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.