Fabian Aosta/AFP
Fabian Aosta/AFP

Sete corpos de vítimas de confronto agrário no Paraguai são exumados

O enfrentamento, ocorrido durante uma ação policial, causou a morte de ao menos 17 pessoas

Ansa,

18 de junho de 2012 | 16h22

ASSUNÇÃO - Sete dos 11 corpos de sem-terras que morreram na última quinta-feira, 14, em um choque com a polícia, foram exumados hoje em um cemitério a cerca de 350 quilômetros a nordeste de Assunção.

Veja também:

link Paraguai prende 12 sem-terra após conflito

link Paraguai punirá culpados por mortes, diz Rubén Candia

O enfrentamento, ocorrido durante uma ação policial de desalojamento em uma propriedade privada, causou a morte de ao menos 17 pessoas, sendo seis policiais e 11 camponeses, embora não se descarte a existência de mais vítimas ou feridos entre os trabalhadores rurais. Uma fonte policial afirmou, em condição de anonimato, que os camponeses não querem denunciar o desaparecimento de seus familiares por temor de serem presos. Acredita-se que haja ao menos quatro mortos ou feridos nas montanhas.

Além das vítimas fatais, a ação de desalojamento resultou na prisão de 11 sem-terras, mas há mais 54 ordens de captura. O policial ainda afirmou que os efetivos não querem se arriscar a entrar nas montanhas por medo das bombas conhecidas como "caça-bobos", que poderiam ter sido deixadas pelos camponeses, já que alguns exemplares foram encontrados na região.

Membros do governo acusaram os camponeses que portavam armas no momento da desapropriação de serem infiltrados no movimento sem-terra.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.