Sete mil minks são libertados em fazenda na Finlândia

Mais de 7 mil minks foram soltas de suas gaiolas no meio desta madrugada em uma fazenda na Finlândia. Apesar de ninguém ter assumido ação, a polícia suspeita de ativistas que defendem os direitos dos animais. A pele de mink ? um animal da família das martas, mamífero parecido com a lontra - é usada na fabricação de casacos. (O nome do animal em inglês acabou designando casacos de pele de uma maneira geral). Os habitantes do local e os bombeiros estão ajudando a capturá-los.A Finlândia é o maior abastecedor de pele de raposa e o terceiro maior criador de mink da Europa. Esse foi o primeiro ataque de grande proporção em uma fazenda da região próxima a Kokkola, que fica a 490 quilômetros ao norte da capital, Helsinki. Leif Finne, líder de uma associação de fazendeiros na Finlândia, disse que ?esse foi o maior ataque já realizado no país. A fazenda tinha quase 8 mil animais e todas as gaiolas foram abertas?.Nos últimos anos, grupos que defendem os direitos dos animais aumentaram suas atividades nos países nórdicos e milhares de minks foram soltos na Suécia, na Finlândia e na Dinamarca. No início deste mês, quase 8 mil animais foram soltos em uma fazenda próxima a Ringkoebing, no oeste da Dinamarca.Desde 1995, ativistas que defendem os direitos dos animais já libertaram milhares de minks e raposas em 60 ataques em fazendas. Eles alegam que é cruel mantê-los em gaiolas. A polícia suspeita dos ativistas porque a palavra Danish, um acrônimo para Fronte de Libertação Animal estava pintada em uma parede da fazenda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.