Sete militares da ONU são baleados durante protesto no Congo

Sete mantenedores de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Congo foram feridos nesta segunda-feira por pistoleiros que abriram fogo contra uma manifestação no leste do país, segundo um porta-voz da entidade.

REUTERS

14 Maio 2012 | 17h13

Não há detalhes sobre o estado de saúde dos militares. Um número não-especificado de outros integrantes das forças de paz internacionais foi atingido por pedradas durante um cerco feito por cerca de mil pessoas contra um quartel da ONU na província de Kivu do Sul, segundo o porta-voz.

"Os sete soldados das forças de paz feridos foram levados a Goma, em Kivu do Norte, para tratamento médico", disse o porta-voz Martin Nesirky em nota.

A ONU afirmou que se tratava de um protesto contra ataques do grupo rebelde ruandês FDLR na região. A entidade suspeita que uma milícia local da etnia mai-mai tenha atirado de dentro da multidão na direção dos soldados.

Reforços foram despachados para a região, onde a situação é tensa, segundo a ONU.

A última guerra no Congo oficialmente terminou há uma década, mas o leste do país ainda enfrenta a violência causada por diversos grupos armados locais e estrangeiros.

A missão no Congo é uma das maiores da ONU, mas ainda assim é pequena para um país tão grande e costuma ser acusada de omissão na proteção aos civis.

Mais conteúdo sobre:
CONGO ONU PROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.