HO / BSPP - Brigade de sapeurs-pompiers de Paris / AFP
HO / BSPP - Brigade de sapeurs-pompiers de Paris / AFP

Incêndio em prédio residencial em Paris mata ao menos 10 e fere 30

Causas ainda são desconhecidas, mas episódio é sendo investigado como criminoso; segundo autoridades locais, uma moradora do edifício - que já teve problemas psicológicos - foi detida

Redação, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2019 | 03h48
Atualizado 05 Fevereiro 2019 | 10h06

PARIS - Dez pessoas morreram e 30 ficaram feridas na madrugada desta terça-feira, 5, em um incêndio em um prédio em Paris, que pode ter sido intencional, segundo as autoridades. Uma moradora do prédio, suspeita de ter iniciado as chamas, foi detida.

O incêndio em um dos últimos andares do edifício de oito andares, situado no 16º distrito de Paris, uma área nobre da cidade, foi um dos mais letais na capital francesa nos últimos anos.

Descrito como uma "cena de violência incrível", as chamas deixaram 10 mortos e 30 feridos, incluindo 6 bombeiros. 

As fotografias do corpo de bombeiros mostram as chamas nas janelas dos últimos andares do imóvel e os oficiais subindo as escadas para resgatar os moradores aterrorizados.

"Uma pessoa que mora no edifício foi detida. Uma mulher de 40 anos, que já teve problemas psicológicos", afirmou o procurador de Paris, Rémy Heitz. Uma investigação foi aberta por "destruição voluntária por meio de incêndio, com consequências fatais", disse o procurador.

Briga entre vizinhos

"A França acorda comovida", escreveu no Twitter o presidente Emmanuel Macron. "Nossos pensamentos estão com as vítimas", completou.

O incêndio começou por volta de 1 hora (22 horas de segunda-feira em Brasília) e foi controlado por quase 200 bombeiros após mais de cinco horas de trabalho. O edifício foi construído nos anos 1970.

"A princípio, pensamos que era uma briga. Ouvimos uma mulher gritar muito alto", disse um vizinho do local. "Estava gritando, gritando e saímos. O edifício já estava em chamas", completou, antes de afirmar que os bombeiros só conseguiram iniciar o resgate com o uso da escada magirus.

As declarações do morador reforçam o rumor de que o incêndio começou após uma briga entre vizinhos.

"A polícia será responsável por divulgar mais informações, mas é uma das possibilidades examinadas pelos investigadores", disse o vice-prefeito de Paris, Emmanuel Gregoire.

"Paris está de luto esta manhã. O balanço é terrível", afirmou no Twitter a prefeita da cidade, Anne Hidalgo

A prefeita e o ministro do Interior, Christophe Castaner, devem visita a região, que fica próxima do Parque dos Príncipes - estádio do Paris Saint Germain -, do bosque de Boulogne e do clube de tênis Roland Garros.

O capitão Clement Cognon disse que os bombeiros ainda precisam revisar os últimos andares do prédio. "Tivemos que fazer diversos resgates, em particular de mais de 10 pessoas que estavam no telhado. No total, retiramos quase 50 pessoas", disse Cognon.

Dois edifícios próximos foram esvaziados por precaução e funcionários municipais estão organizando um alojamento provisório. Várias ruas do bairros foram fechadas por viaturas das polícia e caminhões dos bombeiros.

Este é o terceiro incêndio do tipo em Paris nos últimos três meses.

No fim de dezembro, duas mulheres e duas crianças morreram asfixiadas em um incêndio em uma torre de Bobigny, subúrbio da capital francesa. No dia 12 de janeiro, uma explosão de gás provocou um incêndio no distrito 9º de Paris, deixou quatro mortos.

A tragédia desta terça-feira é a mais grave desde 2005, quando um incêndio em um prédio da capital deixou 17 mortos, incluindo 14 crianças. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.