Sete pessoas podem ter morrido pelo ebola no Congo

Sete pessoas morreram na República do Congo vítimas do que autoridades acreditam se tratar de uma nova epidemia do vírus do ebola, afirmaram hoje oficiais do Ministério da Saúde. As sete mortes ocorreram em 31 de outubro na remota região de Cuvette Oeste, no norte do país, que fora atacada pelo ebola no início deste ano. De acordo com as fontes, cinco membros de uma mesma família morreram em Mbanza, a cerca de 900 quilômetros a nordeste da capital, Brazzaville. Duas enfermeiras que trataram os doentes em uma clínica de uma localidade vizinha também morreram. Uma carta enviada pelo Ministério da Saúde congolês à Organização Mundial da Saúde, cujo conteúdo a Associated Press teve acesso, afirma que as vítimas demonstraram sintomas de febre hemorrágica similares aos causados pelo ebola. No entanto, o chefe do órgão nacional de saúde pública, Damase Bozongo, disse que ainda é cedo para se indicar a causa das mortes e se o vírus do ebola está presente na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.