AFP/Sameer Al-Doumy
AFP/Sameer Al-Doumy

Sete pessoas são detidas em Paris em protestos dos 'coletes amarelos'

Este é o quinto sábado consecutivo de manifestações, apesar das medidas anunciadas por Emmanuel Macron

O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2018 | 08h48

PARIS - Sete pessoas foram detidas neste sábado, 15, em Paris preventivamente para impedir incidentes violentos nas manifestações dos "coletes amarelos", informou à Agência EFE a Polícia local.

Há uma semana no começo da manhã, as forças da ordem tinham detido pelo menos 278 pessoas por fazer parte de grupos suscetíveis de promover atos violentos ou por estar em posse de objetos que podiam ser utilizados para isso.

Este é o quinto sábado consecutivo de manifestações. A de sábado passado convocou cerca de 125 mil pessoas em toda a França e 10 mil na capital.

Os "coletes amarelos" mantiveram este novo dia de manifestação, apesar das medidas anunciadas na segunda-feira passada pelo presidente, Emmanuel Macron, a favor do poder aquisitivo.

Como nas últimas semanas, a avenida Champs-Elisées é o epicentro da convocação em Paris, em meio a um amplo esquema de segurança que inclui revistas em quem quer ter acesso ao local.

Todas as linhas de metrô nas proximidades foram fechadas e as linhas de ônibus desviadas.

Da mesma forma que na semana passada, diversos monumentos, museus e lojas da capital fecharão suas portas como medida de segurança, como o Arco do Triunfo, o Panteão, o Petit Palais e o Museu de Arte Moderna.

Por outro lado, desta vez abrirão Torre Eiffel, Museu do Louvre, Ópera da Bastilha e de Garnier, Museu do Homem e as lojas de departamento Printemps, Lafayette e BHV.

O delegado de Polícia de Paris, Michel Delpuech, explicou ontem que o esquema de segurança será "parecido ao de semana passada", quando 8.000 agentes foram apoiados por caminhões com mangueiras de água e inclusive por blindados da Gendarmaria para desmontar barricadas./EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.