Sete reféns são mortos em ofensiva final na Argélia

Sete reféns estrangeiros e 11 militantes islâmicos morreram neste sábado após o confronto que pôs fim à invasão de um campo de gás na Argélia, informou uma fonte de segurança argelina. Os homens pesadamente armados do grupo conhecido como "Signatários em Sangue" estavam no complexo Ain Amenas desde quarta-feira.

EQUIPE AE, Agência Estado

19 de janeiro de 2013 | 16h41

O cerco em Ain Amenas chamou a atenção do mundo após islâmicos radicais ligados à Al-Qaeda invadirem o complexo, que reúne trabalhadores de todo o mundo, e tomarem os funcionários como reféns. Durante tensos quatro dias, houve confrontos no local, com tiroteio e histórias dramáticas de fuga.

No total, 19 reféns e 29 militantes morreram desde quarta-feira. Dezenas de trabalhadores estrangeiros continuam desaparecidos, o que desperta temores de que o número de mortos seja maior. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Argéliaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.