Sete suspeitos de bruxaria são linchados na Tanzânia

Uma multidão enfurecida, armada com machetes, pedras e facas matou sete pessoas acusadas de bruxaria no sul da Tanzânia, informou o oficial Omari Maganga, comandante da polícia tanzaniana na região de Iringa. Os aldeões acusavam os supostos bruxos e bruxas de terem cortado os órgãos sexuais de pessoas mortas e de usá-los para executar feitiços com o objetivo de trazer boas colheitas e fortuna. De acordo com investigadores, líderes locais ordenaram os assassinatos depois de os aldeões terem identificado os suspeitos de bruxaria. Maganga não esclareceu quando ocorreram os assassinatos. A crença em bruxaria e comum nas áreas rurais da Tanzânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.