Setenta marinheiros chineses morrem em acidente com submarino

Setenta marinheiros chineses morreram no acidente de um submarino durante missão de treinamento no Mar Amarelo. A agência oficial Nova China não revelou quando ou como o desastre aconteceu, apenas informou que ele foi causado por problemas mecânicos e ocorreu nas águas territoriais chinesas a leste das Ilhas de Neichangshan. As ilhas estão situadas no Mar Amarelo, entre a Província Liaoning, do noroeste chinês, e a Coréia do Norte.Segundo uma fonte militar, este foi um dos piores acidentes navais da história da China sob o regime socialista. O pior desastre da marinha chinesa ocorreu em meados da década de 80, quando um destróier que navegava diante da costa taiwanesa explodiu, matando mais de cem marinheiros.A agência disse que o submarino propelido a diesel, de número 361, já havia sido resgatado e rebocado a um porto não identificado. Analistas militares indicaram que o número no casco parecia identificá-lo como um submarino da classe Ming, geralmente usado para patrulha e defesa costeira.Michael McGinty, especialista na Marinha chinesa do Instituto Real para Estudos de Defesa, de Londres, disse que o acidente deve ter ocorrido quando o submarino estava na superfície, caso contrário, era menos provável que a China o recuperasse. "O fato de ter acontecido um acidente tão catastrófico quando o submarino estava na superfície me parece algo muito misterioso" acrescentou.McGinty disse que as baterias do submarino poderiam ter filtrado ácido que, ao misturar-se com a água salgada, criou um gás tóxico de cloro que matou a tripulação. Ou os torpedos poderiam ter filtrado líquido de propulsão, que envenenou os marinheiros a bordo.A China tem uma frota de 90 submarinos, 60 dos quais - unidades convencionais e nucleares - de fabricação própria. Segundo analistas militares, a frota de submarinos chineses é obsoleta e necessita ser renovada. Acredita-se que a China tenha pelo menos 19 submarinos da classe Ming, que começaram a ser construídos pela China nos anos 70.A China havia iniciado uma campanha para modernizar suas Forças Armadas e planejadores de Defesa estão tentando aprender com incidentes como o naufrágio do submarino nuclear russo Kursk em 2000, que matou 118 pessoas que estavam a bordo.O programa de submarinos da China, especialmente de suas pequenas naves nucleares, tem um histórico de problemas de segurança e performance que na maior parte do casos foi mantido em segredo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.