AFP PHOTO / Dong-A Ilbo
AFP PHOTO / Dong-A Ilbo

Seul aceita se reunir com Pyongyang para discutir a visita de banda musical

Pyongyang se ofereceu para enviar quatro representantes artísticos, entre eles, um diretor de orquestra, enquanto Seul planeja mandar uma delegação também de quatro membros

O Estado de S.Paulo

13 Janeiro 2018 | 10h49

SEUL - A Coreia do Sul aceitou, neste sábado, 13, voltar a se reunir, na segunda-feira, 15, com representantes da Coreia do Norte para falar sobre os planos de Pyongyang de enviar uma banda musical ao país vizinho durante os Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang no próximo mês.

O Ministério de Unificação de Seul aceitou a proposta feita pelo regime norte-coreano na primeira hora de hoje de realizar um novo encontro em Tongilgak, um edifício situado no lado norte-coreano da aldeia da trégua de Panmunjom, na fronteira militarizada, segundo informou a agência de notícias sul-coreana 'Yonhap'.

+++ Coreia do Sul propõe conversa sobre participação da Coreia do Norte na Olimpíada de Inverno

Pyongyang se ofereceu para enviar quatro representantes artísticos, entre eles um diretor de orquestra, enquanto Seul planeja mandar uma delegação também de quatro membros, encabeçada pelo chefe do escritório de política cultural e artística do Ministério de Cultura, Lee Woo-sung.

O governo sul-coreano também pediu ao país vizinho que responda o mais rápido possível à oferta que lhe fez na, sexta-feira, 12, para outro encontro - que propunha que acontecesse precisamente na segunda-feira - para tratar a participação de atletas norte-coreanos nos Jogos de Inverno.

Durante a reunião que Sul e Norte tiveram na terça-feira passada, 9, a primeira em mais de dois anos, Pyongyang disse que enviará uma delegação governamental a PyeongChang, bem como animadoras, grupos artísticos e atletas, ainda que não tenha confirmado se estes competiriam.

Apesar da predisposição da Coreia do Norte a comparecer aos Jogos, Seul e Pyongyang ainda têm que determinar os detalhes de tal participação.

É necessário estabelecer, por exemplo, o modo como os norte-coreanos viajariam para o Sul - se for por terra isso requereria um acordo militar - ou como seriam cobertas as despesas da missão, já que financiar a participação do Norte pode vulnerar as sanções que pesam sobre o regime por seus programas de armas.

Além do seu compromisso para facilitar a participação norte-coreana nos Jogos de Inverno, Norte e Sul se mostraram de acordo durante a última reunião em realizar conversas no plano militar, mas nenhuma data foi proposta por enquanto. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.