Seul anuncia retirada de tropas após seqüestro de voluntários

O Governo sul-coreano proibiu viagens de sul-coreanos ao Afeganistão

EFE,

22 Julho 2007 | 02h27

A Coréia do Sul retirará suas tropas do Afeganistão no fim deste ano, anunciou neste domingo, 22, o ministro de Relações Exteriores, Song Min-soon, um dia depois de os talibãs anunciarem que tinham seqüestrado 22 missionários sul-coreanos. Segundo a agência sul-coreana de notícias "Yonhap", o ministro ressaltou que o Governo já tinha comunicado ao Parlamento no fim de 2006 a intenção de retirar os soldados do Afeganistão, e que os preparativos estavam em andamento. Mas o anúncio foi feito enquanto permanecem em poder dos guerrilheiros talibãs os sul-coreanos seqüestrados, todos eles voluntários enviados pela Igreja Católica ao Afeganistão, em missão humanitária e missionária. O Governo sul-coreano, citando fontes de sua embaixada em Cabul, informou que 20 voluntários, entre eles 15 mulheres, e três guias, todos de sul-coreanos, viajavam no ônibus que ia da capital afegã à cidade de Kandahar, no sul, quando foram assaltados pelos talibãs. Cerca de 200 médicos e engenheiros militares sul-coreanos estão postados no Afeganistão, dedicados aos trabalhos de reconstrução do País. Segundo o ministro, a Coréia do Sul uniu esforços com a comunidade internacional e está coordenando ações com os países estabelecidos no Afeganistão, como os Estado Unidos, França, Alemanha e Reino Unido, para uma pronta libertação dos reféns. O Governo sul-coreano proibiu viagens de sul-coreanos ao Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.