Seul aprova envio de ajuda humanitária à Coreia do Norte

Sul-coreanos seguem o princípio de enviar socorro ao país comunista que passa por forte crise econômica e alimentícia

Efe,

15 de junho de 2010 | 04h14

SEUL - A Coreia do Sul aprovou nesta terça-feira, 15, o envio de ajuda humanitária à Coreia do Norte apesar da tensão entre os países por causa do afundamento, em março, da embarcação sul-coreana Cheonan em incidente atribuído a Pyongyang, informou a agência sul-coreana Yonhap.

Serão quatro envios diferentes, avaliados em 300 milhões de wons (200 mil euros), que incluem remédios para clínicas de tuberculose e alimentos para creches, segundo o Ministério da Unificação sul-coreano.

Na última semana, o governo de Seul já tinha aprovado outro o envio de alimentos infantis para o país vizinho.

A Coreia do Sul bloqueou o comércio com os vizinhos do Norte pouco depois que uma equipe internacional afirmou em 20 de maio que o Cheonan afundou em março passado perto da fronteira marítima no Mar Amarelo (Mar Ocidental) após ser atingido por um torpedo norte-coreano, matando 46 marinheiros.

Apesar da tensão, Seul sustenta o princípio de seguir enviando ajuda humanitária ao país comunista, que atravessa uma forte crise econômica e alimentícia agravada pelo fracasso da reforma de sua moeda o novembro passado e das sanções internacionais impostas por conta de um teste nuclear em maio de 2009.

As duas Coreias lembram nesta terça o décimo aniversário da primeira e histórica cúpula intercoreana realizada em 2000, em Pyongyang, entre o então presidente sul-coreano, Kim Dae-jung, e o líder norte-coreano, Kim Jong-il, que abriu o processo de reconciliação.

As relações entre as duas Coreias sofreram um forte revés desde que o conservador Lee Myung-bak chegou à Presidência sul-coreana em fevereiro de 2008 com sua política de linha dura a Pyongyang.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.