Seul conversará com Tóquio sobre ameaça de Pyongyang

A Coréia do Sul retomará em breve as conversas com o Japão para resolver a crise causada pelo teste nuclear realizado pela Coréia do Norte.As conversas estavam paralisadas desde janeiro de 2005, devido às reiteradas visitas do anterior primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, ao santuário de Yasukuni, considerado por Seul como um símbolo do imperialismo militarista japonês de meados do século passado.Em um relatório dirigido à Assembléia Nacional, o Ministério da Defesa sul-coreano indicou nesta sexta-feira que fortalecerá seus laços com Japão, China e Rússia, para tentar resolver a crise nuclear com a Coréia do Norte."A Coréia do Norte realizou um teste nuclear subterrâneo (na última segunda-feira) para ser reconhecida como potência nuclear, já que os Estados Unidos e outros países não haviam levado a sério o anúncio, realizado em 10 de fevereiro, de que já estava em posse de armas atômicas", indicou o comunicado.O Ministério da Defesa afirmou que as Forças Armadas da Coréia do Sul iniciaram uma série de preparativos para enfrentar a eventualidade de uma guerra nuclear.Segundo esses planos, o estamento militar sul-coreano se prepara para revisar o plano de contingência entre Estados Unidos e Coréia do Sul, para o caso de um ataque nuclear norte-coreano.Em caso de uma guerra convencional e com uma suposta invasão norte-coreana do Sul, entraria em funcionamento o chamado "Oplan 5027", desenvolvido em 2002, e que prevê a derrubada do regime do líder norte-coreano Kim Jong-il e a derrota do Exército de 1,17 milhão de homens da Coréia do Norte.No entanto, este plano não estabelece pautas de ação diante de uma eventual guerra nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.