Seul e EUA iniciam atividades militares e Pyongyang critica

Milhares de tropas da Coréia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram neste domingo, 25, exercícios militares conjuntos, apesar das críticas da Coréia do Norte, informou a agência sul-coreana Yonhap.Calcula-se que 29 mil militares americanos participarão desses exercícios, que têm caráter anual e que serão realizados até o próximo sábado em várias áreas da Coréia do Sul, que não divulgou quantos soldados destacará, segundo a Yonhap. Os americanos contarão com o porta-aviões Ronald Reagan, entre outros.O regime stalinista da Coréia do Norte criticou tais exercícios por considerar que aumentarão as tensões na península e que põem em risco uma solução pacífica ao atual conflito nuclear no momento em que o diálogo foi retomado.Segundo a agência central de notícias norte-coreana KCNA, esses exercícios militares sugerem que Coréia do Sul e EUA "não têm interesse no diálogo e na paz", e "seguem perseguindo sua ambição de acabar com a Coréia do Norte por meio das armas".Na semana passada, a Coréia do Norte se negou a voltar a participar das conversas de seis lados - as duas Coréias, China, Rússia, EUA e Japão - para o fim de seu programa nuclear até que sejam liberados os US$ 25 milhões congelados por 19 meses pelos americanos em um banco de Macau.Ainda faltam 20 dias para o fim do prazo para que Pyongyang sele seu reator nuclear de Yongbyon em troca de receber 1 milhão de toneladas de petróleo, conforme o acordo assinado em 13 de fevereiro em Pequim por delegados dos seis países, que estão agora à espera de que essa transferência de dinheiro chegue a Pyongyang para se voltar à mesa de negociações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.