Seul investiga favorito nas eleições presidenciais

Lee Myung-bak e a empresa BBK voltarão a ser investigados pelo Ministério da Justiça por fraude financeira

Efe,

17 de dezembro de 2007 | 02h52

O Ministério da Justiça da Coréia do Sul se mostrou nesta segunda, 16, disposto a investigar uma suposta fraude financeira atribuída ao candidato favorito nas eleições presidenciais de quarta-feira, informou a agência Yonhap.  O presidente sul-coreano, Roh Moo-hyun, ordenou nesta segunda que seu ministro da Justiça, Chung soung-jin, revise o caso da fraude na bolsa cometida em 2001 pela empresa de consultoria BBK, apesar de a procuradoria ter descartado há duas semanas o envolvimento no caso de Lee Myung-bak, ex-prefeito de Seul e candidato do opositor Grande Partido Nacional.  O Ministério da Justiça rejeitou em princípio voltar a investigar Lee, mas permitiria que um promotor independente retomasse o caso.O suposto caso de corrupção do candidato conservador voltou às manchetes depois de o Novo Partido Democrático Unido divulgar um vídeo no qual Lee diz ter criado a BBK.  Este vídeo teria sido gravado em 2000, durante uma palestra de Lee em uma universidade sul-coreana.  O candidato opositor negou qualquer envolvimento em corrupção, mas o resultado da primeira investigação, que o absolveu, foi rejeitado pela maioria dos sul-coreanos e todas as legendas, com exceção ao Grande Partido Nacional.  O caso de fraude da bolsa é um dos principais temas da campanha eleitoral, e faltando dois dias para as eleições presidenciais pode decidir o destino de Lee Myung-bak, que até agora tinha uma popularidade superior a 40%, apesar de seu envolvimento em vários casos de corrupção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.