Seul lamenta morte de turista sul-coreana na Coréia do Norte

O presidente da Coréia do Sul, Lee Myung-bak, pediu uma investigação rápida do incidente

Efe

12 de julho de 2008 | 12h33

O presidente da Coréia do Sul, Lee Myung-bak, lamentou neste sábado, 12, a morte da turista sul-coreana baleada nesta sexta-feira, 11, por soldados norte-coreanos em Geumgang (Coréia do Norte), e pediu uma investigação rápida do incidente. "É incompreensível que (um soldado norte-coreano) mate um turista civil incapaz de resistência", disse Lee durante uma reunião de emergência com seus ministros, segundo a agência local de notícias Yonhap. "É preciso agir rapidamente para investigar o incidente, e é preciso também criar medidas sobre isso", acrescentou. Park Wang-ja, de 53 anos, morreu na madrugada da sexta-feira após ser baleada por soldados norte-coreanos em Geumgang, quando entrou, aparentemente sem saber, em uma área militar restrita. A mulher foi baleada no coração e nas pernas quando atravessou uma área restrita nas proximidades de uma praia, segundo fontes oficiais. Esta foi a primeira vez que ocorreu um incidente deste tipo desde o início do turismo na região, em 1998. Desde então, cerca de 2 milhões de pessoas visitaram o monte Geumgang, considerado como uma das montanhas mais bonitas da península coreana, segundo a Yonhap. O Governo da Coréia do Sul suspendeu temporariamente a partir de hoje o turismo de seu país a esta paragem norte-coreana, até que se conclua a investigação para esclarecer a morte da turista. O incidente ocorreu horas antes de Lee propor um "diálogo pleno" à Coréia do Norte para avançar na reconciliação entre os dois países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.