Seul mantém ajuda mesmo com atraso da Coréia do Norte

A Coréia do Sul mandará 400.000 toneladas de arroz para a Coréia do Norte mesmo se o país vizinho não cumprir o prazo de 14 de abril para fechar seu reator nuclear, disse uma autoridade nesta quinta-feira, 5. A China já afirmou que há poucas chances de a Coréia do Norte cumprir o prazo, já que ainda não há solução para o dinheiro congelado no exterior e que Pyongyang exige receber antes de começar a fechar o reator. "Vamos dar o arroz, conforme planejado", disse a repórteres Shin Eon-sang, vice-ministro da Unificação. Ele disse que o progresso para o encerramento do programa nuclear do Norte e a entrega de ajuda continuam relacionados, mas que "algum deles pode ser feito meio passo antes". Milhões de norte-coreanos enfrentam a fome e a desnutrição com a falta de quase 1 milhão de toneladas de alimentos, segundo o Programa Mundial de Alimentação. A Coréia do Sul é um grande doador de alimentos ao Norte, com quase 500.000 toneladas por ano. O país suspendeu a ajuda no ano passado, depois que Pyongyang fez testes com mísseis e detonou um aparato nuclear. O envio de fertilizantes foi retomado na última semana, depois que o Norte concordou, em fevereiro, em começar a desmantelar seu programa de armas, durante negociações entre seis países em fevereiro. Mas o Norte adiou as medidas e exige a transferência de 25 milhões de dólares congelados em um banco de Macau antes de agir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.