Seul pede a Pyongyang que acabe com seus planos nucleares

A Coréia do Sul fez um apelo à Coréia do Norte na quarta-feira, 28, para que aja rapidamente para pôr um fim a seu programa de armas nucleares, durante a primeira reunião entre os dois Estados rivais desde os testes de mísseis e nucleares feitos por Pyongyang no ano passado. Por sua vez, a Coréia do Norte propôs a retomada de conversas paralisadas para expandir os laços e reabrir projetos humanitários, disse a autoridade sul-coreana Lee Kwan-se. Mas o Norte não fez um pedido específico por ajuda envolvendo alimentos e fertilizantes, e não estava claro que tipo de trabalho humanitário o governo norte-coreano tinha em mente, disse Lee. No passado, projetos humanitários incluíram reuniões entre parentes separados desde a Guerra da Coréia (1950-53), e o envio de cargas regulares de arroz e fertilizantes para a Coréia do Norte, que sofre de falta de comida crônica. Retomada A Coréia do Sul propôs que as reuniões familiares fossem retomadas imediatamente e que os projetos paralisados para ligar estradas de ferro e rodovias através da fronteira entre os dois países fossem completados antes do final deste ano. Os projetos foram suspensos após a última rodada de negociações, em julho, quando Seul criticou Pyongyang por testar uma série de mísseis. A Coréia do Norte saiu da reunião dizendo que, como Estado soberano, tinha um direito legítimo a realizar tais testes. As relações bilaterais então pioraram depois do teste nuclear de 9 de outubro da Coréia do Norte. Mas os laços entre os dois países ganharam novo ímpeto depois que Pyongyang concordou, há duas semanas, em tomar medidas para pôr um fim a seus programas nucleares em troca de até um milhão de toneladas de petróleo e ajuda de cinco países. Analistas dizem que as recentes ações diplomáticas do Norte, que foram anunciadas após sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU em resposta ao teste nuclear, eram encorajadoras, mas que era melhor adotar a cautela até que Pyongyang realmente cumpra suas promessas. A reunião entre as duas Coréias começou em Pyongyang na terça-feira, 27, e deve terminar na próxima sexta. A mídia estrangeira foi proibida de cobrir as negociações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.