Seul pode rever ajuda humanitária a Pyongyang

O não cumprimento do começo da desnuclearização pela Coréia do Norte poderá levar a Coréia do Sul a rever a ajuda humanitária ao país vizinho. Pyongyang não mostrou nenhum indício de que iniciará o encerramento do processo nuclear. O prazo para o fim da usina nuclear de Yongbyon foi encerrado há dois dias. As informações são da agência sul-coreana Yonhap.Na sexta-feira, 13, Pyongyang anunciou o início da desnuclearização. Entretanto, informou que só faria isso após a comprovação da liberação dos fundos do Banco Delta Asia de Macau. De acordo com a agência Efe, não há indícios de retirada.Com o temor que a desnuclearização não tenha começado, o governo de Seul poderá não convocar o comitê econômico intercoreano programado para esta semana em Pyongyang. A realização da reunião será anunciada nesta terça-feira, 17, pelo Ministério de Unificação da Coréia do Sul. O encontro pode decidir pelo envio de 400 mil toneladas de arroz à Coréia do Norte. O envio de arroz deverá ser atrasado por Seul. Outro embargo que poderá ser posto por Seul é a anulação do contrato de remessa de 50 mil toneladas de petróleo, vinculada ao encerramento das atividades nucleares. O atraso no processo gera perdas diárias de cerca de 80 mil dólares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.