Seul prepara manobras militares e Pyongyang promete reação

O Exército da Coréia do Sul anunciou nesta terça-feira que realizará a partir de sexta-feira amplas manobras de desembarque de fuzileiros navais, o que o governo da Coréia do Norte considerou um "ato de provocação" que terá "conseqüências catastróficas".As manobras acontecerão na localidade portuária de Pohang, no sudeste do país, com 40 aviões, 70 carros anfíbios, sete navios de guerra e 8 mil homens, informou a Marinha sul-coreana, em comunicado de imprensa divulgado nesta terça-feira.Um porta-voz do Corpo de Fuzileiros da Coréia do Sul disse à agência sul-coreana Yonhap que a realização de manobras num momento de máxima tensão na península, após o teste nuclear norte-coreano de 9 de outubro, é "mera coincidência".Em mensagem transmitida hoje pela Agência Central de Notícias norte-coreana (KCNA, oficial), o governo de Pyongyang chamou as manobras de "provocativos jogos de guerra".Com os exercícios militares, acrescenta a KCNA, "os EUA e seus seguidores procuram exercer pressão militar a fim de derrubar a República Democrática Popular da Coréia".No comunicado, a cúpula norte-coreana exige o fim das manobras e avisa que elas terão "conseqüências catastróficas".Atualmente mais de 30 mil soldados dos EUA estão posicionados na Coréia do Sul, como resquício da Guerra da Coréia (1950-1953).As duas Coréias permanecem em guerra desde 1953.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.