Seul retirará trabalhadores sul-coreanos de Kaesong

A Coreia do Sul disse nesta sexta-feira que retirará todos os seus trabalhadores remanescentes do complexo industrial intercoreano de Kaesong, na Coreia do Norte.

AE, Agência Estado

26 de abril de 2013 | 08h17

Mais cedo nesta sexta-feira, a Coreia do Norte rejeitou a proposta feita por Seul de iniciar negociações sobre o complexo industrial. O impasse na região começou no dia 3 de abril quando a Coreia do Norte impediu o fluxo de entrada da Coreia do Sul em Kaesong.

Seis dias depois, a Pyongyang retirou todos os 53 mil trabalhadores norte-coreanos do local. Por volta de 175 sul-coreanos permanecem no complexo, preocupados que, se deixarem Kaesong, a Coreia do Norte confiscará o maquinário e os bens deixados para trás.

"O governo tomou uma decisão inevitável de trazer de volta para casa todos os nossos cidadãos deixados para trás em Kaesong", disso o ministro da Unificação sul-coreano, Ryoo Kihl-jae, em uma declaração televisionada. Segundo ele, a medida tem o objetivo de proteger os trabalhadores.

"As autoridades norte-coreanas devem garantir o retorno seguro de nossos cidadãos e a proteção completa de nossas propriedades empresariais no local conforme os acordos existentes entre as duas Coreias, assim como as leis", disse.

A Coreia do Norte disse em uma declaração anterior que ela permitiria que os sul-coreanos viajassem de volta para o Sul. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
COREIASCOMPLEXO INDUSTRIAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.