Shabab ridiculariza Quênia e ameaça fazer mais ataques

O grupo de rebeldes Shabab, da Somália, ameaçou fazer mais ataques contra o Quênia e usaram o Twitter para ridicularizar o país depois que homens armados islamitas atacaram um shopping center em Nairóbi. O incidente na capital queniana deixou pelo menos 67 mortos.

AE, Agência Estado

27 de setembro de 2013 | 09h45

"O desempenho mesmérico dos Guerreiros de Westgate foi, sem dúvida, emocionante, mas não se desesperem, pessoal, isso foi apenas a estreia do 1º Ato", disse o grupo em uma das mensagens publicadas no Twitter. O Shabab afirmou que foi o responsável pelo ataque no shopping Westgate.

Em outra mensagem, o Shabab afirmou que tinha sido "um grande prazer de ter tido vocês completamente encantados por mais de 100 horas. Que público maravilhoso vocês foram".

O grupo também se vangloriou pelo fato de o governo queniano ainda estar "em desordem", alegando que demorará vários meses até que ele entenda "plenamente o que aconteceu de maneira exata em Westgate".

O chefe do Shabab, Ahmed Abdi Godane, disse que os assassinatos no shopping de Nairóbi foram uma retaliação à intervenção militar do Quênia na Somália.

O Quênia invadiu o sul da Somália para atacar bases do Shabab há dois anos, e depois se juntou às forças da União Africano no país. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
quêniaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.