Sharif luta contra 3ª tentativa de retirada do cargo

Sob pressão desde agosto, quando milhares de paquistaneses foram às ruas pedir sua renúncia, o primeiro-ministro Nawaz Sharif recorreu ao Exército para encerrar a crise.

O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2014 | 02h04

Segundo fontes, Sharif teria concordado em ceder o controle de setores da segurança interna e da política externa para que os militares negociassem com os líderes da oposição, o que especialistas qualificaram como um "pequeno golpe de Estado" contra o premiê. Os opositores pedem a renúncia de Sharif, alegando que as eleições que o levaram ao cargo, em 2013, foram manipuladas. O líder do país já esteve em situação semelhante em duas ocasiões. Em 1990, o presidente Ghulam Ishaq Khan tentou - sem sucesso - tirá-lo do cargo sob acusação de corrução. Ele saiu do governo três anos depois. Em 1999, o general Pervez Musharraf deu um golpe de Estado e tirou Sharif do poder, frustrando uma tentativa do premiê de reformar o comando militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.