Sharon acusa Araft pelo atentado

O governo israelense anunciou que tomará medidas contra o atentado suicida ocorrido hoje em Israel. O grupo radical Hamas assumiu, pela Internet, a autoria do atentado. Horas antes a organização islâmica Yihad tinha assumida a autoria do mesmo incidente.Para os dirigentes de Israel, a culpa foi da Autoridade Nacional Palestina. Um porta-voz do primeiro ministro israelense Ariel Sharon acusou o presidente palestino Yasser Arafat de incitar os ataques contra os israelenses. ?Essas atitudes mostram que o senhor Arafat mente quando diz estar disposto a retomar o processo de paz entre os dois países?, disse o porta-voz Raanan Gissin.Esse foi o segundo atentado suicida contra israelenses em menos de uma semana. Terça-feira, um palestino vestido como um judeu ortodoxo feriu 15 pessoas no centro de Jerusalém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.