Sharon acusa Líbia de desenvolver armas de destruição em massa

A Líbia pode ser o primeiro país árabe a adquirir armas de destruição em massa, disse hoje o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon.A Coréia do Norte, o Iraque e talvez o Paquistão estão ajudando o presidente líbio, Muammar Kadafi, a desenvolver novos armamentos, provavelmente com dinheiro da Arábia Saudita,afirmou Sharon à tevê israelense, indicando que se referia aarmas nucleares.Israel tem preparado sua população para possíveis ataquesquímicos e biológicos lançados pelo presidente iraquiano, SaddamHussein, caso os Estados Unidos promovam uma ação militar contrao Iraque, informou Sharon.Máscaras antigás têm sido distribuídas para a população eoutras medidas preventivas foram tomadas, mas a ameaça oferecidapor Saddam não é a única preocupação de Israel, disse Sharon."A Líbia está se tornando talvez um país mais perigoso do quepensávamos", considerou. "A Líbia pode ser o primeiro país(árabe) com armas de destruição em massa."Perguntado que tipo de armas a Líbia estava buscando, Sharonrespondeu: "Provavelmente, a coisa ruim". Ele não entrou emdetalhes, mas analistas militares afirmam que armas nuclearesapresentam uma ameaça mais séria do que as químicas ebiológicas".Sharon disse que Israel está preocupado com a ameaçaapresentada pela Líbia, está colhendo informação sobre a questãoe está se preparando para enfrentar a ameaça.Sharon afirmou que a decisão sobre um ataque ao Iraque é um"assunto americano", e acrescentou: "Apoiamos plenamentequalquer decisão americana que seja adotada em relação àcontinuidade da guerra contra o terrorismo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.