Sharon convida Shimon Peres para coalizão em Israel

O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, convidou o líder do principal partido de oposição em Israel, o trabalhista Shimon Peres, para formar um novo governo de coalizão. Segundo a rádio Israel, o convite teria sido feito em uma ligação pessoal.O objetivo é formar o novo governo dentro de dez dias para evitar o risco de eleições antecipadas e para facilitar a realização do plano de Sharon de retirada dos assentamentos na Faixa de Gaza.O Partido Trabalhista apóia abertamente a retirada das tropas e assentamentos israelenses da Faixa de Gaza, e Shimon Peres já afirmou que "nada é mais importante" do que um resultado bem-sucedido nas negociações para a formação da coalizão.O convite aos trabalhistas foi possível depois que o Comitê Central do Likud, o partido de Sharon, aprovou a proposta na quinta-feita.O próximo passo do primeiro-ministro israelense deverá ser a articulação da participação dos dois partidos religiosos nessa aliança. De acordo com analistas em Israel, a participação dos trabalhistas, que têm 19 cadeiras no Parlamento, e de um dos partidos religiosos, o Yahadut Hatorá (com cinco cadeiras), já estaria praticamente acertada e garantiria 64 dos 120 votos da casa.No entanto, uma aliança com o partido ultraortodoxo Shas, que tem 11 cadeiras no Parlamento, já é vista com mais cautela, já que ele é contrário ao plano de retirada de Gaza. Acredita-se que a participação desse partido em um governo de coalizão vai depender da decisão do seu líder espiritual, o rabino Ovadia Yosef. Se Sharon conseguir convencê-lo a participar do governo, teria uma base sólida para promover as mudanças que julga necessárias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.