Sharon critica Comissão Mitchell

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, reúne-se neste domingo com a comissão internacional liderada pelo ex-senador americano George Mitchell, que realiza uma viagem por Israel e territórios da Faixa de Gaza, ocupados pelos israelenses, para investigar as causas da onda da violência na região. Líder do partido direitista Likud, Sharon declarou, em entrevista a uma rádio em Jerusalém, que ?nada e nem ninguém tem o direito de julgar Israel?. Para o primeiro-ministro israelense ?essa investigação não é nada boa para o Estado de Israel?.Segundo ele, ?agora está claro? que sua visita e a dos israelenses ao Monte do Templo ?não tem qualquer relação com o aumento de atos violentos por parte dos palestinos?. Segundo ele, esses atos foram ?uma decisão estratégica? do líder palestino Yasser Arafat, depois que a Cúpula do Egito fracassou na tentativa de obter um tratado de paz definitivo na região. Para Sharon, o objetivo do levante palestino foi ?converter o conflito com Israel em um conflito internacional?.A onda da violência na região já causou a morte de cerca de 500 pessoas, a maioria palestinos, nos últimos seis meses. Além de Mitchell, o grupo é formado por Warren Rudman, um alto representante da Política Exterior e Segurança da União Européia; pelo espanhol Javier Solana; pelo ex-presidente turco Suleimán Demirel e pelo ministro norueguês de Assuntos Exteriores, Thorbjoern Jagland.A comissão havia interrompido seu trabalho de investigação há cerca de um ano, quando o governo em exercício, do premier Ehud Barak, cessou sua cooperação com o grupo porque seu secretário realizou uma visita a um templo de Jerusalém, onde foi originada a luta atual, sem informar ao governo israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.