Sharon critica plano internacional para a paz

O primeiro-ministro israelense, ArielSharon, disse hoje que, com exceção dos EUA, os membros do grupoconhecido como "Quarteto" - que inclui também a União Européia a Rússia e a ONU - não têm a mesma visão de paz de Israel e"não contam para nada na solução do conflito no OrienteMédio". "Tenho inveja da Europa, que encontrou tempo para seocupar de nossos problemas. Espero que um dia possamos viver empaz para poder contribuir para resolver os problemas da Europa" ironizou Sharon, numa entrevista coletiva. "A Europa não entende que para avançar na direção da paz,Yasser Arafat (presidente da Autoridade Palestina) deve serremovido de suas posições de influência", prosseguiu Sharon."A posição dos EUA é a de ignorar Arafat, mas essa não é aposição da Europa." "Estamos dispostos a fazer concessões dolorosas, mas se asegurança dos cidadãos de Israel e do Estado de Israel estiveremem jogo, então, não haverá concessão nenhuma", assinalou. Essas"concessões" se resumiriam na criação de um Estado palestinocom restrições, desde que as fronteiras fossem totalmentecontroladas por Israel. As declarações de Sharon, favorito para as eleiçõesparlamentares do dia 27, ocorreram em meio à tensão causada pelosepultamento de um colono, militante de extrema direita, mortona sexta-feira por um ataque de palestinos em Hebron. Revoltados jovens colonos invadiram casas, incendiaram automóveis emataram animais pertencentes a palestinos. Forças israelensestiveram de agir para conter os colonos. Grandes Acontecimentos InternacionaisESPECIAL ORIENTE MÉDIO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.